Arquivo da categoria: lisboa

Lojinhas e lugares

Outros espaços e lojas alternativas chamam atenção no Bairro Alto. Entre grafites, ruas e escadas, novas propostas de lojas vão surgindo.

grafite-bairro-alto3

lojinha-bairro-alto

lojinha-bairro-alto2

grafite-bairro-alto21

loja-vinho

lojinha

lau

lojinha-bairro-alto3

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em inovação, lisboa, moda, ponto de venda

Friends, copas e livros

Outro lugar que me chamou a atenção, primero pelo nome (que até lembra algo dos coletivos culturais do post anterior) e depois  pela proposta, foi o “Friends Bairro Alto”. É um bar super novo localizado na rua da rosa, no boêmio Bairro Alto de Lisboa. Tem uma astral super convidativo e propõe que o cliente traga um livro para beber um copo ou desfrute dos que estão a disposição por ali. Isto porquê? Pode ser um tempo de leitura e reflexão ou ainda um bom motivo para puxar papo com alguém interessante que possa compartilhar dos mesmos gostos que você, porque não?

friends-bairro-alto1

friends

Deixe um comentário

Arquivado em entretenimento, espaços urbanos, lisboa

A onda dos coletivos criativos

Lisboa é sim uma cidade agitada e oferece muitos lugares interessantes e alternativos para se conhecer.

crew-hassan6

Visitei semana passada o Crew Hassan, uma casa administrada por um grupo de artistas que se autodenomina uma “cooperativa cultural”, que desenvolve atividades artísticas e sociais ajudando novos talentos ou quem queira agregar-se à trupe. A casa é antiga e fica no baixo Chiado, nas portas de Santo Antão.

crew-hassan2

crew-hassan31

crew-hassan21

crew-hassan43

crew-hassan92

Lembra muito uma casa okupa com grafites bacanas em todas as paredes da casa e lugares para sentar e beber uma breja no fim do dia. Me lembrei saudosamente do CA da ECA, só que é um lugar MUITO mais bacana.

Está aberta todos os dias a partir das 6 da tarde e há programações de shows, performances, exposições e projeção de filmes, principalmente nos finais de semana.Logo ao lado da casa fica a loja com peças super originais de artesanato e acessórios.

crew-hassan8

Um outro lugar bastante comentado é o Bacalhoeiro, um “coletivo cultural”.

Com uma programação rica diária oferece comidas típicas, shows, workshops entre outros em um ambiente super agradável. O objetivo é “ajudar a criar uma rede de pessoas ligadas às artes e proporcionar um núcleo de expressão artística em Lisboa”. Quem sente mais afinidade pode inclusive se tornar sócio do lugar, ficando livre para assistir toda a programaçao artística da casa mediante uma taxa anual. Já contabiliza 8.000 membros.

bacalhoeiro

Ambas as casas possuem wifi livre.

3 Comentários

Arquivado em espaços urbanos, experience, lisboa, movimento social

Intervenção

Muito curiosa esta cena perto do Rócio em Lisboa.

lisboairis

lisboairis21

Fui conferir na internet, a tal de Art Building e eis a sua própria definição:

“Art Building é a expressão da arte pública transposta para a vedação de edifícios em construção/reconstrução. Potenciando a criatividade de jovens artistas, transforma a cidade moderna nu museu a céu aberto onde a cultura tem um lugar de destaque e está acessível a todos. Art Building oferece à cidade uma nova forma de estar e viver com as obras transformando-as em OBRAS COM ARTE. Olhe para Lisboa com outros olhos…e aprecie a vista.”. 

Deixe um comentário

Arquivado em arte de rua, espaços urbanos, inovação, lisboa

Bué de fixe

iris1

Visitar Portugal provoca boas e estranhas sensações. Primeiro porque é uma casa que não é a sua, nem da sua família, mas se parece muito com ela, tem fotos de conhecidos e personagens da sua história, mas de longa data. Depois pela língua. Pode ser engraçado o jeito dos portugueses falarem, mas para mim está sendo muito gostoso passar estes dias falando e ouvindo português. Até porque vivendo num país tão polêmico em relação à própria cultura e línguas, como a Espanha, é motivo de celebração falarmos todos a mesma língua.

Depois de ficar certo tempo tendo que falar outro idioma, é bom poder falar sem pensar no que é que tem mesmo a dizer, e ao mesmo tempo todo mundo entender tudo, ou quase tudo. Falar com as pessoas pela rua é um prazer e confesso que ver um montão de imigrantes de ex-colônias portuguesas e gringos vivendo aqui e aprendendo a falar português não era uma idéia que tinha passado na minha cabeça.

Os europeus vêm pra cá fazer um ano de Eramus, (o intercambio de graduação europeu, onde os alunos podem escolher outro país para fazer um ano do curso) e acabam se encantando pela vida de Lisboa e ficam por aqui. E a galera mais nova até que aprende português bem rápido. Parece uma cidade interessante, sobretudo para estudantes, com muita luz, praias por perto, visuais de final da tarde e uma vida noturna agitada. Já o imigrante, assim como os brasileiros, vem buscar oportunidades num país europeu onde não há barreiras de língua.

Pensando nas expressões e poucas gírias portuguesas que aprendi em dois dias e olhando a própria língua portuguesa falada pelas diferentes nações que estão em Portugal hoje, me senti num momento especial. O fato é que o país pode não ter mais seu papel colonizador do passado, nem influenciar muito coisa pelo mundo afora, mas sem querer neste cenário atual, consegue reunir todas as variações da língua portuguesa num único lugar.

Algumas expressões curiosas:

Bué – muito
Fixe – legal
Alfacinha – morador de Lisboa
É giro – é bacana/irado
Ó pá – ó cara/meu
Malta – galera
Carro – viatura
Ônibus – autocarro
Gajo – cara/rapaz
Bica – cafezinho (que vem de Bebo Isto Com Açúcar)

Deixe um comentário

Arquivado em lisboa